CNN Brasil, respeite as pessoas LGBT+




O Diversidade Tucana repudia fala LGBTfóbica do jornalista Leandro Narloch
sobre homossexuais, veiculada em 8/7 no canal de TV fechada CNN Brasil.
A fala veiculada pelo canal por assinatura CNN Brasil que foi amplamente
compartilhada nas redes sociais, mostra total desconhecimento e despreparo
do jornalista Leandro Narloch.

Ao afirmar que homossexuais são mais propensos a ser soropositivos o Sr.
Leandro Laroch mostra sua LGBTfobia de forma pública e notória, pois
biologicamente qualquer pessoa que faça sexo sem proteção está correndo
risto de contrair alguma IST, isso é independente de sua orientação sexual.
Vamos ressaltar aqui, que para fazer uma análise sobre os números de
pessoas LGBT vivendo com HIV é preciso entender o contexto social desta
população. A exclusão que as pessoas LGBT+ sofreram dentro de casa, na
escola, falta de acesso à informação de prevenção e até mesmo à política
pública de saúde. Não é possível falar de HIV desta forma rasa, vazia sem
entender o contexto social.

Jornalistas são profissionais que nós do Diversidade Tucana prezamos muito,
e lutamos para continuarmos a ter liberdade de imprensa no Brasil – algo
muito precioso para nós. Mas não podemos permitir, nem compactuar com
pessoas, empresas ou instituições que utilizam a “liberdade de imprensa”
para oprimir e perseguir segmentos da nossa sociedade. É preciso
responsabilizar quem utiliza os meios de comunicação para ofender,
estigmatizar e prejudicar pessoas que já sofrem com exclusão social e
preconceito.

Jornalistas devem trazer informações com conteúdo relevante para a
sociedade, não desinformar os telespectadores com senso comum, utilizando
termos ultrapassados e estigmatizantes que ridicularizam a comunidade
LGBT+.

É inaceitável que nos dias atuais, uma empresa como a CNN, contrate
alguém que não saiba a diferença entre orientação sexual e opção sexual.
Não, Leandro Narloch, ser heterossexual ou LGBT+, nunca foi uma escolha,
mas se pudéssemos escolher seriamos LGBT+ com muito orgulho.
Outro ponto que precisamos trazer a tona, são as marcas que apoiam a
causa LGBT+ nas redes sociais e se auto-intitulam “inclusivas e amigas da
diversidade”. Essas mesmas marcas, continuam anunciando na CNN Brasil.
As pessoas LGBT querem marcas que se posicionem claramente sobre
respeito, equidade, contra o preconceito. Em causas sociais ou você apoia,
ou não apoia, não existe meio termo, não existe neutralidade.

Nós esperamos o mínimo da CNN Brasil, retratação e mudança de equipe.
CNN Brasil, LGBTfobia é crime no nosso país.

Pessoas LGBT+ além de serem também assinantes da emissora, tem cidadania,
tem direitos e merecem respeito.

Comentários

Mais lidas