No mês da Visibilidade Trans, Ministério Público Federal recomenda admissão de Transexuais nas Forças Armadas

No início do mês de janeiro deste ano, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ás Forças Armadas - exército, marinha e aeronáutica - que admitam transexuais. O fator levado em consideração foi que, a transexualidade não incapacita o indivíduo de exercer a carreira militar.



Essa iniciativa é significativa para a população T, ainda tão marginalizada socialmente. Que luta constantemente pela garantia de seus direitos básicos de cidadania.


A decisão do MPF ganha destaque no mês da Visibilidade Trans, mês em que normalmente, transexuais costumam sair às ruas marchando por dignidade, respeito e contra a discriminação. Vale ressaltar que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, gerou polêmica e revolta no ano de 2017, quando solicitou que transexuais fossem banidos das Forças Armadas do país. Segundo Trump, a presença de transgêneros “seria um fardo devido aos enormes gastos médicos e a distração que implicariam”.


Já o Brasil é o país onde mais se mata transexuais, de acordo com a ONG Transgender Europe. Nesse cenário a recomendação do MPF surge como uma luz no fim do túnel, mas ainda como apenas uma fagulha em meio a tantas causas a serem conquistadas.
Além da recomendação, o MPF também quer que as Forças Armadas criem um programa de combate à discriminação dentro dos quartéis contra militares gays ou transexuais, conforme notícia divulgada pela UOL.

Comentários

Mais lidas