domingo, 20 de novembro de 2016

Dia da Memória Trans

O primeiro Dia Internacional da Memória Trans aconteceu em 20 de novembro de 1998, por iniciativa da ativista trans Gwendolyn Ann Smith na internet. Ela fez homenagens a Rita Hesterm assassinada em Massachusetts.

Lamentavelmente o Brasil ainda hoje é o líder em mortes por transfobia. Dos 295 casos de mortes por transfobia registrados no mundo,  o país responde por 42% deles. O Brasil se mantém na frente do México, onde houve 52 registros de mortes por transfobia.

Hoje, 20/11, não é apenas o dia que lembramos e homenageamos aos travestis, mulheres transexuais e homens transexuais  que perdemos ao longo do ano vítimas de transfobia, mas também é um dia para fincar nossa bandeira e mostrarmos que vamos continuar com a nossa luta. 

A comunidade trans quer respeito, cidadania e dignidade, não aceitamos menos que isto!
E para atingirmos o ideal de respeito, cidadania e dignidade, passamos obrigatoriamente por políticas públicas, educação, saúde e inclusão no mercado de trabalho.

*Os dados são da Transgender Europe. ONG voltada à defesa do direito das pessoas trans.


Marcos Fernandes
Diversidade Tucana Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário