quinta-feira, 24 de julho de 2014

DT faz representação sobre candidato homofóbico no DF

O Diversidade Tucana de São Paulo entregou uma representação à Executiva Nacional do PSDB para que tome as devidas providências a respeito do candidato a deputado federal pelo PSDB-DF, Matheus Sathler, que em vídeos divulgados na internet relaciona a pedofilia à homossexualidade e promete propor a entrega do "kit macho" e "kit fêmea" nas escolas.

No documento, o secretariado LGBT do partido reforça que os posicionamentos do candidato não são compatíveis com a história do PSDB e também são flagrantes desrespeitos ao novo Estatuto partidário, que claramente identifica o "respeito às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero" como diretrizes e objetivos do PSDB.

"Os governos do PSDB em São Paulo, Minas Gerais, Pará, entre tantos outros, são referência na implantação de políticas públicas sérias e inclusivas para a população LGBT. O programa de governo do Aécio Neves para presidente é o mais completo nesse tema. Portanto, o partido não pode endossar uma candidatura que promove um preconceito que todos os anos mata centenas de pessoas no Brasil", afirma o presidente estadual do Diversidade Tucana SP, Wagner Tronolone.

Leia a íntegra da representação enviada à Executiva Nacional do PSDB:

São Paulo, 24 de julho de 2014.
À
Executiva Nacional do PSDB
Ref.: Candidato a deputado federal Matheus Sathler (PSDB-DF)

                Ganha repercussão na imprensa e nas redes sociais os posicionamentos do candidato a deputado federal pelo PSDB-DF, Matheus Sathler. Em vídeo disponível na internet (https://www.youtube.com/watch?v=bp8sFRzjlJ4#t=155), o referido candidato faz uma irresponsável conexão entre a homossexualidade e o crime de pedofilia (relação refutada por todos os dados disponíveis sobre a pedofilia no Brasil), bem como assume o compromisso de propor a criação do “kit macho” e “kit fêmea”, em contraposição ao kit pedagógico do programa Escola Sem Homofobia (apelidado de “kit gay” pela imprensa).
                O PSDB é o partido que, ao longo dos últimos 20 anos, implantou políticas públicas de referência no combate à homofobia e promoção da cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT). Em 2013, na convenção que elegeu Aécio Neves presidente do partido, foi aprovada a inclusão do respeito às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero entre as diretrizes programáticas e objetivos do Estatuto do PSDB:
                Art. 2o. O PSDB tem como base a democracia interna e a disciplina e, como objetivos programáticos, a consolidação dos direitos individuais e coletivos; o exercício democrático participativo e representativo; a soberania nacional; a construção de uma ordem social justa e garantida pela igualdade de oportunidades; o respeito ao pluralismo de ideias, culturas e etnias; às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero(...)
                Dessa forma, consideramos a candidatura de Matheus Sathler uma afronta à história e ao Estatuto do nosso partido, bem como um desserviço à imagem do PSDB junto à população LGBT e aos milhões de brasileiros que esperam do nosso partido a inequívoca defesa da democracia e dos direitos humanos que sempre marcaram a nossa história, clamor tão bem respondido pelo programa de governo da candidatura de Aécio Neves à Presidência da República – o mais completo em termos de propostas voltadas à população LGBT.
                Solicitamos à Executiva Nacional que tome as providências cabíveis para defender o nosso Estatuto e nossa história, para que o PSDB dê mais uma demonstração de que não pactuará com a promoção de preconceitos que fazem centenas de vítimas de violência moral e física todos os anos no Brasil.
                Atenciosamente,
Wagner Tronolone
Presidente Estadual do Diversidade Tucana SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário