Nota do Diversidade Tucana sobre PDC 234/11

O Diversidade Tucana - Secretariado da Diversidade Sexual do PSDB agradece à Executiva Nacional do PSDB, em especial nossas bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, por seu posicionamento objetivo e contundente contra o PDL 234/11, conhecido como "Cura Gay".

A falta de apoio do próprio partido foi considerada fundamental para a retirada do projeto de pauta. Uma vitória parcial, que não baixa as nossas guardas, mas demonstra que o conjunto da sociedade brasileira demonstra cada vez menos tolerância a projetos autoritários e teocratas como esse.

Desde 2011 o Diversidade Tucana tem trabalhado no sentido de mostrar ao conjunto do partido que esse tipo de posicionamento em relação à cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) não representam a ideologia do PSDB e seu histórico de lutas por uma sociedade mais justa e igualitária.

O diálogo construído junto à Executiva Nacional do partido e o reconhecimento conferido ao Diversidade Tucana neste posicionamento e na aprovação do novo Estatuto do PSDB, que inclui o respeito às diferentes orientações sexuais e identidades de gênero entre as diretrizes do partido, são ao mesmo tempo motivo de orgulho pela trajetória que construímos nesses sete anos de existência e uma grande responsabilidade, que encararemos de frente, sempre tento como nortes o engrandecimento do PSDB como representante dos nossos ideais, e a cidadania plena da população LGBT brasileira.

Agradecemos também aos secretariados da Juventude e Tucanafro pelo apoio constante na construção de um PSDB cada vez mais representativo de sua própria história de respeito à democracia e aos direitos humanos de todas e todos.

Marcos Fernandes - Presidente Nacional do Diversidade Tucana

Leia abaixo a íntegra da nota oficial do PSDB:


O PSDB manifesta publicamente posição contrária de suas bancadas ao Projeto de Decreto Legislativo 234/2011, em tramitação na Câmara dos Deputados, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da orientação sexual.

O partido entende que a proposta, conhecida como “Cura Gay”, representa grave retrocesso nos avanços ocorridos no país para reconhecimento pleno dos direitos humanos e contraria resoluções do Conselho Federal de Psicologia e da Organização Mundial de Saúde (OMS), que, desde 1999, rejeitam a classificação da homossexualidade como doença ou desordem psíquica.”

Comentários

  1. Boa tarde, não sou ligado a nenhum partido político, mas me entristece muito o fato de existir em seus quadros, um "político" que atue da forma como esse Matheus Sathler (PSDB/DF), atua, tratando a comunidade LGBTT como doentes e fazendo disso, sua plataforma de campanha. Espero que não sejam coniventes com isso. pois perderão muitos votos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas