População GLBT recebe atenção especial na Caravana Pro Paz


A população GLBT do Marajó está recebendo atenção especial durante a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva. Com o apoio do Núcleo de Diversidade Sexual do PSDB, homossexuais estão recebendo diversas orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis, principalmente o HIV. A Diversidade Tucana também tem outra função durante a Caravana: fazer um levantamento sobre a situação dessa parcela da população no interior do estado. A Caravana começou nesta sexta-feira (27) o atendimento no municipio de Cachoeira do Arari.
Segundo o representante do núcleo na caravana, “Magda” Barnort Pereira dos Santos, as informações colhidas junto ao público gay vai possibilitar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas à diversidade sexual no interior do estado. “Estamos reunindo com esse público, escutando as demandas e também levando informações sobre os direitos e as conquistas do movimento GLBT no Brasil e principalmente no Pará”, explica.
As ações da Diversidade Tucana estão concentradas na Escola José Rodrigues Vieira. A abordagem das equipes começa na entrada da escola com a distribuição de preservativos e a orientação para que procurem os exames oferecidos pela Secretaria de Estado de Saúde. Estão sendo realizados testes de HIV, sífilis e hepatite (B e C).
As equipes da Unidade de Referência de Doenças Infecciosas e Parasitárias (Uredip) da Sespa são responsáveis pelos exames e orientação dos pacientes que procuram o serviço. A principal demanda é pelo teste rápido do HIV. O exame é simples e o resultado leva pouco mais de 10 minutos. A expectativa é que sejam realizados em Cachoeira do Arari, cerca de 300 testes rápidos em três dias de atendimento. "É importante que a população procure o serviço e realize o exame e receba todas as orientações das nossas equipes", reforça a biomédica da Uredip, Ines Maria Bastos.
A dona de casa Edileuza dos Santos Oliveira, 24 anos, está grávida de cinco meses. Ela foi a primeira pessoa a procurar o teste rápido do HIV. “Na minha primeira gravidez eu fiz e agora vou aproveitar a facilidade do atendimento para fazer novamente o teste. É importante saber se está tudo bem com a minha saúde”, diz.
Após o teste os pacientes são encaminhados ao serviço de Assistência Social, independente do resultado do exame. Segundo a assistente social Lúcia Helena de Oliveira, os pacientes são orientados sobre a importância da prevenção, principalmente com o uso do preservativo, em todas as relações sexuais. Nos casos em que o resultado é positivo, o pacientes é encaminhado para o serviço especializado, onde recebe acompanhamento multidisciplinar e dá inicio ao tratamento da doença.
O último Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que o Pará notificou 12.532 casos de Aids no período de 1980 a junho de 2011, dos quais 1.476 em 2010 e 589 de janeiro a junho de 2011. A população mais atingida pela Aids está na faixa etária dos 19 a 24 anos de idade, com 1.567 casos notificados entre 1998 e junho de 2011. E a maioria dos casos, atualmente, é de heterossexuais infectados por transmissão sexual. “51% dos homens e 83% das mulheres foram infectados em relação heterossexual”, enfatizou.
Com apenas 16 anos, Widiney Leal também procurou o teste rápido do HIV. Ele é voluntário na ação do Pro Paz e aproveitou a facilidade no atendimento para tirar a dúvida. Apesar do nervosismo, o jovem se diz satisfeito com o resultado. “O vírus já circula em nosso município. É claro que a gente fica nervoso na hora de pegar o resultado. Mas é melhor tirar a dúvida e, se for o caso, fazer o tratamento”.

Comentários

Postagens mais visitadas