Serra assina em São Paulo documento com compromissos nas áreas de prevenção do HIV e tratamento da aids

Pela primeira vez um candidato à Presidência da República assinou um documento preparado pela sociedade civil organizada de luta contra a aids, se comprometendo a executar uma série de ações específicas voltadas à prevenção e ao tratamento dessa doença caso seja eleito. “Apesar do atraso (cerca de duas horas e meia), considerei esse encontro prioridade hoje, pois a campanha de prevenção à aids é muito importante para mim”, disse José Serra (PSDB), durante evento promovido nessa quinta-feira em São Paulo pelo Fórum de ONG/Aids do Estado.

Serra assumiu perante essa rede de quase 100 organizações não-governamentais ligadas à causa da aids o compromisso de regularizar as compras de emergência de medicamentos antirretrovirais para prevenir eventuais falta de remédios; investir na indústria farmacêutica nacional; diminuir o número de mortes por aids no País (11 mil por dia); entre outros (Leia na íntegra no final da página). “Concordo linha por linha e vamos seguir ponto por ponto desse documento”, comentou o candidato.

Serra que chamou os ativistas presentes no encontro de “parceiros” disse que a campanha nacional contra essa doença começou a “derrapar” nos últimos anos. “Recentemente houve uma grande falta de remédios antirretrovirais, como, por exemplo, do abacavir”.

Segundo o ex-ministro da Saúde, cargo ocupado de 1998 a 2002, o enfrentamento da aids ainda não é um problema vencido no Brasil. “Todos os anos registram-se cerca de 30 mil novos casos dessa doença no País, sendo que 20 mil começam o tratamento antirretroviral anualmente”, citou. “Para isso, precisamos investir mais na produção nacional de medicamentos antirretrovirais, o que nos trará economia e independência em relação aos laboratórios estrangeiros”, acrescentou.

Serra disse ainda que “a resposta contra as DST/aids foi estruturada e teve mais avanços” durante sua gestão na pasta da Saúde e que hoje “as pessoas com HIV em tratamento vivem como se tivessem uma doença crônica, como a diabete”.

Questionado sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, Serra respondeu que “casamento, propriamente dito, está ligado ao ato religioso na igreja e com pessoas do sexo oposto, mas a união civil, mesmo entre pessoas do mesmo sexo, já é possível hoje no país e não vou me opor”.

“Compromisso assumido tem que ser cumprido”, dizem ativistas

O Presidente do Fórum de ONG/Aids do Estado de São Paulo, Rodrigo Pinheiro, acredita que a carta-compromisso assinada por José Serra será uma importante ferramenta de cobrança. “O candidato veio aqui e afirmou diante de várias pessoas que irá cumprir nossas propostas. Agora, iremos exigir isso”, disse.

Rodrigo ressalta, entretanto, que este não foi um evento de apoio ao candidato, já que o Fórum de ONG/Aids de São Paulo é apartidário, mas uma tentativa de cobrar dos possíveis futuros Presidentes do Brasil mais atenção na área da aids.

Marco Aurélio Silva, da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids (RNP+Brasil), pediu que o enfrentamento da aids esteja entre as prioridades da próxima gestão federal na área da saúde.

Comentários

Postagens mais visitadas