+ Motivos Para Votar no Serra

Por Gui Tronolone

Para quem não mora em São Paulo, talvez o último contato com o trabalho de José Serra tenha sido em 2002, quando ele deixou o Ministério da Saúde para ser candidato a presidente naquele ano, mas a vida pública de José Serra continou em São Paulo, como prefeito (2005-2006) e Governador do Estado (2007-2010).

Serra assumiu a prefeitura da capital depois de uma trágica seqüência de prefeitos: Paulo Maluf, Celso Pitta e Marta Suplicy. A Prefeitura estava quebrada, a cidade esburacada. Já no primeiro ano como prefeito, Serra recuperou as finanças da cidade sem aumentar impostos – pelo contrário, extinguiu as taxas de lixo e luz criadas pela Marta. Também manteve e ampliou os programas da Marta que estavam dando certo, como os CEUs (escolas-modelo) e o Bilhete Único de transporte (que valia só para o ônibus e o Serra expandiu para o Metrô).

Em pouco tempo, a cidade já estava outra. Serra implantou programas de recuperação do centro, fez o maior programa de recapeamento de ruas que São Paulo já teve, refez túneis que estavam mal-feitos, fez auditoria nos contratos suspeitos, e acabou com o loteamento político dos cargos. Além disso, criou coisas que mudaram a administração pública não só em São Paulo, mas em vários cantos do Brasil: o primeiro órgão público voltado para a diversidade sexual do país, a primeira secretaria para pessoas com deficiência, a Virada Cultural que hoje é realizada também em outras cidades como o Rio de Janeiro, as AMAs (ambulatórios médicos que fazem o primeiro atendimento e realizam até pequenas cirurgias), o Programa Ler e Escrever (com duas professoras na primeira série, que melhorou muito a alfabetização das crianças).

Em 2006, o Serra foi candidato a governador e tornou-se o primeiro a ser eleito em primeiro turno em São Paulo. De novo sem aumentar a carga tributária, ele aumentou muito a arrecadação do Estado, por meio do combate à sonegação e da Nota Fiscal Paulista (um programa que estimula o consumidor a pedir nota fiscal e, em troca, receber parte do imposto pago de volta e participar de sorteios). Com isso, a capacidade de investimento do Estado triplicou. Aliás, em 2009 o governo do Serra investiu só em São Paulo mais do que o PAC da Dilma investiu no Brasil inteiro.

E esses investimentos foram direcionados para quem mais precisava. Serra triplicou as vagas nas escolas técnicas, atraiu grandes investimentos para São Paulo, criando milhares de empregos, criou os AMEs (ambulatórios semelhantes às AMAs da prefeitura), tocou obras em três linhas de metrô ao mesmo tempo e ainda deixou tudo pronto para que sejam construídos mais 45 km de metrô nos próximos quatro anos.

De novo, ele criou políticas públicas inéditas para a diversidade sexual (como o primeiro ambulatório para travestis e transexuais do Brasil) e para pessoas com deficiência (como uma rede de clínicas de reabilitação de movimentos). Implantou as primeiras clínicas públicas de recuperação de dependentes químicos do Brasil, e investiu muito na modernização da polícia paulista, fazendo São Paulo atingir índices de criminalidade considerados pela ONU como de países desenvolvidos. E mais uma vez também transformou a Educação do estado, criando um centro de formação de professores, um plano de carreira que aumenta o salário dos professores que continuam estudando, e programas de leitura que tiraram as escolas públicas de São Paulo do fim do ranking do Governo Federal e as colocaram no topo!

Esse é um testemunho de alguém que acompanhou a gestão Serra de pertinho, para que vocês conheçam melhor o jeito dele de governar. Ele é, sem dúvidas, o homem público mais preparado para ser Presidente do Brasil. E olhe que não é só isso...

Para mim, o principal é o seguinte: o Serra representaria uma mudança de valores no Governo Federal. Ele sempre respeitou as instituições de Estado, não faz loteamento político de cargos, não estabelece relações fisiológicas com o Legislativo. Ou seja, com o Serra não vai ter escândalos na Casa Civil, nem mensalão, violação de sigilos, ataques à liberdade da imprensa, e nem aliança com Sarney, Renan Calheiros, Collor e Zé Dirceu.

O Brasil pode ser muito mais do que é hoje. As coisas boas – que não foram inventadas agora, elas vem de longe e são conquistas do povo brasileiro e não de um presidente ou de um governo – podem ser melhoradas. Nas coisas ruins, nós precisamos acreditar que o Brasil tem jeito! Nós não somos obrigados a aceitar a corrupção e a morosidade da máquina pública, muito menos nos conformarmos dizendo “vai ser sempre assim” ou “são todos iguais”.

Espalhe essa mensagem para os seus amigos. Nós temos um candidato que é preparado, honesto, comprometido com a democracia e com um desenvolvimento que melhore a vida das pessoas e respeite o meio ambiente. O nome dele é José Serra!

Pense bem. E se ainda estiver indeciso, vote pelo segundo turno. Assim você ganha mais 20 dias para decidir melhor. E não esqueça: com ou sem título de eleitor, continua obrigatório levar um documento oficial com foto na hora de votar!

Comentários

  1. me expliquem isso aqui, por favor: Vice diz que Serra vai ser contra direitos dos gays http://odia.terra.com.br/portal/brasil/eleicoes2010/html/2010/10/vice_diz_que_serra_vai_ser_contra_direitos_dos_gays_115311.html

    ResponderExcluir
  2. A informação foi desmentida, conforme texto no link http://diversidadetucana.blogspot.com/2010/10/indio-da-costa-desmente-jornal-o-dia.html

    ResponderExcluir
  3. Qual é a verdadeira posição do Serra em relação a União Civil que se encontra parado no Congresso e o projeto que criminaliza a Homofobia?
    Preciso entender melhor...por enquanto as coisas estão obscuras.
    Marcelo Lourenço-ativista LGBT do Rio de Janeiro.
    EMAIL: agmarcelinho@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas