Líder do DEM cai por Apoio a Mercadante

O vereador Carlos Apolinário, líder do DEM na Câmara Municipal de São Paulo, foi destituído do cargo depois de declarar apoio à candidatura do petista Aloizio Mercadante ao governo do estado. Sem reunião oficial – procedimento básico para as decisões de bancada – os vereadores Marta Costa, Domingos Dissei, Ushitaro Kamia e Marco Aurélio Cunha, todos do DEM, decidiram nesta quarta-feira destituir Apolinário e nomear Cunha como novo líder do partido na Câmara. A decisão foi considerada “arbitrária” por outras várias lideranças da Casa.

A bancada do DEM é composta por sete vereadores. No entanto, Sandra Tadeu, Carlos Apolinário e Milton Leite não concordaram com a decisão e ameaçam não seguir a nova liderança imposta pelos outros quatro parlamentares. Milton Leite foi o primeiro vereador do DEM a declarar apoio a Mercadante. Apolinário anunciou sua decisão no início desta semana. Caso o impasse se mantenha, segundo lideranças de outros partidos, estuda-se questionar a presença do DEM em reuniões dos líderes na Câmara.

Aloizio Mercadante comemorou em seu Twitter o controverso apoio que recebeu do vereador evangélico e homofóbico Carlos Apolinário (DEM). Para Mercadante, o apoio de Apolinário é "importante". "Recebi importante apoio do líder do DEM na Câmara Municipal/SP, Carlos Apolinário, à minha candidatura ao gov. do Estado", escreveu Mercadante em seu microblog.

Os Democratas estudam expulsar o vereador do partido por conta de suas declarações. Vale lembrar que Carlos Apolinário tem feito ataques sistemáticos a qualquer política de apoio às questões gays. Foi contra a distribuição de camisinhas e gel na Parada Gay; é contra a Parada na avenida Paulista e também se posicionou publicamente contrário à criação do Centro de Informações Turísticas GLS. O vereador disse ainda que o movimento gay e a gestão do prefeito Gilberto Kassab (DEM) querem transformar a cidade de São Paulo numa "metrópole gay".

Comentários

Postagens mais visitadas