Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Suprema Corte da Índia barra lei de 1861 e descriminaliza homossexualidade

Via Folha de S.Paulo

Por decisão unânime, a Suprema Corte da Índia barrou nesta quinta-feira (6) uma lei do período colonial que criminalizava a homossexualidade no país
Em uma decisão histórica que foi seguida de celebrações por todo o país, a corte determinou que a lei criada pelos britânicos em 1861, conhecida como Seção 377, era discriminatória e inconstitucional.
O texto dizia que um ato sexual “contra a ordem da natureza” era proibido e previa prisão de 10 anos. Em um século e meio de existência, menos de 200 pessoas foram processadas com base na seção 377. A decisão é uma vitória da comunidade gay, que ganha espaço em um país com 1,3 bilhão de pessoas, o segundo mais populoso do mundo.
“Qualquer discriminação com base em orientação sexual é uma violação de direitos fundamentais”, disse o presidente da Suprema Corte, Dipak Mishra.
Leia na íntegra: https://goo.gl/ju8LAs

Últimas postagens

Nota - Proac LGBT

A luta pela visibilidade das mulheres lésbicas

Nota

Nota oficial

PSDB Alagoas lança a pré-candidatura da Cris de Madri - travesti, negra e periférica

Dia Internacional do Orgulho LGBTI

Ivan Batista coordenador de Políticas LGBTI de São Paulo particia de encontro de cidades latino-americanas

‘Jovens estão adoecendo por homofobia psicológica’, diz União Nacional LGBT

Maria Rita Fontes apresenta palestra sobre a Social Democracia

Safira Bengell, precursora do movimento LGBT, se filia ao PSDB

“Não existe democracia com segregação”, afirma prefeito de Lins

UNAIDS relança ferramenta com dados sobre pessoas mais afetadas pelo HIV

“Perdi alguns trabalhos”, revela Bruna Linzmeyer sobre quando tornou público que é lésbica

Ivan Batista: Coordenador de Políticas para LGBTI e Presidente Municipal do Diversidade Tucana São Paulo

Dindry Buck e a pauta LGBT

Dia Internacional Contra a Discriminação Racial: debate racial na questão de gênero

LGBTS CONTAM COMO DRIBLAM O PRECONCEITO NOS ESTÁDIOS DO BRASIL

Marielle Franco, mais uma vítima da violência, do ataque a vida, a mulher e aos direitos humanos.